Olá!
Estamos enfim estreiando, bem no dia na Independência, a anteriormente comentada coluna "Espaço do Nacional" , um lugar no blog dedicado para os autores que precisam de um mãozinha na divulgação dos seus livros. O espaço é aberto para qualquer autor, de qualquer gênero, portanto qualquer um pode de inscrever. O início da postagem é sempre reservado para autores parceiros do blog, para quando eles se inscrevem.

Obs: queria te postado isso sábado (05/09), para ajudar na divulgação do autor JM Beraldo, que estava na Bienal do Rio na sexta e no sábado, mas não pude por consequência de um compromisso que me impediu de elaborar a postagem a tempo. Ainda assim você, se estiver indo para a Bienal do Rio nos próximos dias, ainda pode encontrar exemplares à venda de "Império de Diamante" (mais sobre abaixo). Adicionei também algumas curiosidades à divulgação dele, para vocês darem uma olhadinha.

Veja a postagem de Regulamento aqui e em breve a postagem de Apresentação.

"O amor na literatura do século XXI

Amor é um fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.
- Camões

Na história da literatura, da música e da arte em geral, o amor sempre ocupou lugar de destaque. Estamos habituados a nos deparar com um casal principal que desenrola os acontecimentos da trama, seja em filmes, novelas ou livros. É até difícil encontrar uma história que não contenha pelo menos uma nuance de conflitos amorosos. Mas será que o amor ainda está tão na moda assim?
Quero compartilhar algo que aconteceu na Bienal de São Paulo do ano passado: eu estava autografando meu POP STAR quando chegou uma garota dizendo que procurava um livro sem nem um pingo de romance.
- Eu quero algum que seja bem dark - ela disse.
Fiquei meio sem graça porque meu livro era tudo, menos dark; então pedi que ela fosse falar com o Ismael, que era responsável pelo meu estande.
Mas aquilo ficou na minha cabeça. Talvez eu também estivesse um pouco cheio de escrever sobre amor. Decidi então criar algo mais hipster e, por que não, dark. Eu realmente gosto dessa pegada moderna de Lorde, Lana e afins. Então, meu novo livro, cujo nome ainda não posso apresentar, tem quase nada de amor. Alguns colegas escritores que já leram disseram que amadureci, outros que ando meio triste. Eu não sei por que mudei tanto o foco.
Quem sabe foi aquela menina.
Enfim, podem esperar de mim um livro realista e hipster para o ano que vem. Espero não decepcioná-los com a minha nova literatura."
Texto pelo autor David Medeiros.
Veja a resenha do livro dele, "Pop Star", aqui no blog.
----

Há dois mil anos o deus-­vivo governa o continente de Myambe com mãos de ferro. Ou pelo menos é isso que dizem seus sacerdotes. No rastro de suas conquistas, o Império de Diamante edita a história e exclui tudo aquilo que vá contra a crença na imortalidade de seu imperador.
Então, um dia, um mercenário assustado atingiu o deus-­vivo com uma lança, e tudo mudou.
Império de Diamante é uma fantasia épica inspirada em culturas africanas que será lançada pela Editora Draco durante a Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, com presença do autor nos dias 5 e 6 de Setembro no Pavilhão Verde, estande O10A.
Texto por: JM Beraldo.

Curiosidades adicionais:
- Além de autor, ele também é game designer; como os MMO Taikodom (2007-11), os jogos sociais Pet Mania (2011), World Mysteries (2011-12) e Flying Kingdoms (2012), o RTS Shadow Heroes: Vengeance in Flames (2013) e os puzzles Marble Drop (2014) e Shiftlings (2014)Confira alguns posts sobre as criações dele no blog do autor: http://www.jmberaldo.com/
- Você pode comprar o livro dele pela loja virtual da Draco (clique aqui).
- Na fanpage do livro (clique aqui) você pode encontrar muitas curiosidades sobre a série e mitologias africanas.
----

"Olá, tudo bem? Apresente-se para quem ainda não lhe conhece:
 Bom dia, meu nome é Júlio Anthoni e sou sargento do exército e professor dos soldados iniciados. Apesar da pouca idade, faço meu trabalho e exerço minha função com devoção. Mas isso não me impede de ser um rebelde e buscar melhorias para meu país.

Então Sargento Anthoni, me conte mais como inicia a história do livro?
 A história toda começa quando uma nova garota, Liss Deboch, contra todas as possibilidades, acaba sendo mandada para o quartel. Na verdade não contra todas as possibilidades realmente, mas acontece que ela sempre foi uma menina frágil, delicada e bonita. Apesar da personalidade forte e da determinação, nunca teria os atributos físicos e as qualidades necessárias dos que vivem lá.
Bom, eu acompanhei-a até o exército, e assisti sua adaptação. Confesso no início que ela era um desastre, não conseguia igualar-se aos demais, nem realizar as atividades físicas propostas. Mas com o tempo, com sua força de vontade e seu empenho, conseguiu vencer os obstáculos, se igualar aos demais colegas, e após um tempo até superá-los.


E sua relação com ela, como era? Somente aluna e professor?
Na verdade não. Sempre a vi como alguém especial. Desde o início. Não posso dar muitos detalhes disso para quem ainda não leu, mas garanto que ela sempre foi mais do que uma aluna para mim.

Você esta falando no sentido amoroso?
Não. Realmente não. E como disse não posso mais falar sobre isso, sem estragar o mistério da história. Mas garanto que não foi isso.
Entretanto, conforme eu fui tornando-se seu amigo, convivendo mais com ela, percebi meu afeto aumentando também. Eu não conseguia parar de pensar na garota que havia chegado ao quartel, imatura e insegura, e na mulher guerreira que ela estava se tornando.
E infelizmente conforme isso aumentava, tornava-se um problema.

Por quê? Vocês não poderiam ficar juntos pela relação de aluno/ professor?
Também não era isso. Logo ela se formou, e isso não era mais um problema.
Na verdade o empecilho mesmo era por dois outros fatores. O primeiro é que meu irmão mais novo, e melhor amigo de Liss, estava apaixonado por ela. E segundo porque eu nunca gostei de demonstrar meus sentimentos. Sempre tentei ser frio e calculista. Manter-me indiferente a tudo.
Acho que no início Liss até me achava um autoritário, arrogante. Não demonstrava a ela o que sentia. Muito pelo contrário, tentava ser mais rude ainda, para acostumá-la com o que enfrentaria.

Certo. Mas o que eu não entendi ainda é por que o título do livro é “A Missão”.
Acho que não contei ainda, que eu era líder de um grupo revolucionário que pretendia tirar do poder o governo corrupto e negligente que tínhamos, e implantar uma nova forma de governar. Mais justa e igualitária. Esse nosso plano, chamava-se “A Missão”.
No decorrer da história, Liss acaba entrando para esse grupo também e torna-se parte indispensável dele, principalmente quando vira uma espécie de “espiã” dentro do Palácio do Governo.

Para encerrar, qual o diferencial que “A Missão” tem, e por que devemos lê-la?
É uma história que lhe envolve do início ao fim. Juntamente com a narrativa de Liss, que lhe faz se emocionar e sentir o mesmo que ela sente, desde a dificuldade em se adaptar até as torturas físicas que ela sofre, vocês possuem partes do meu Diário pessoal, onde narro de outra maneira aqueles fatos que aconteceram.
Assim conseguem perceber que não sou o homem que aparento. Que por trás da fachada de durão, existe um coração, e que eu sofro e luto com meus sentimentos diariamente.

Enfim é uma história de aventura, ação, superação e rebeldia. Para quem quiser conhecê-la e descobrir se a tão esperada Missão conseguirá ser cumprida com êxito, a obra está disponível na plataforma Wattpad, no seguinte link: https://www.wattpad.com/story/37312054-a-missão . E o segundo livro já esta, inclusive, sendo escrito.

Agradeço a atenção de todos e lhes espero em Tazur, a nação que pretendo tornar mais igualitária e justa. "
Texto por: Stefani Pinheiro Paulo
---

 ---Este vídeo feito e enviado por: Deh Pime

Então, o que acharam? Algum te chamou a atenção em especial? Comentem suas opiniões!


Deixe um comentário