Quatro anos depois de ter lido esse livro pela primeira vez (em 2011) e me lembrava dos eventos principais do livro, mesmo que detalhes me escapassem e, em meio a uma "ressaca literária", como dizem, e necessitando de um livro mais leve para me tirar do desânimo, escolhi Karma Club, para ver se conseguia renovar em mim aquela boa sensação que tive ao lê-lo da primeira vez.














Para Madison Kasparova, o universo estava em perfeito equilíbrio. Quer dizer, isso até ela flagrar Mason, o menino com quem namora há mais de dois anos, beijando Heather Campbell, a garota mais popular da escola. No dia seguinte, esperando um pedido de desculpa, encontrar ele de mãos dadas com as garota num grude tamanho que só seria comparável ao olhar de pena que dirigem a ela pelos corredores, piorando cada dia mais. Onde estava o carma? Onde estava aquela tal força superior do qual havia ouvido falar que recompensava as boas ações e punia severamente as más?... Cansada da humilhação por qual ela e suas amigas - que também haviam passado por alguma situações bem complicadas no último ano -, cria um plano para "trazer a harmonia" de volta para suas vidas. É então inaugurado o Clube do Carma, com o único objetivo de corrigir as "bagunças cósmicas" que o Carma havia deixado, aparentemente, de lado. Mas quem disse que ele gosta de ser ajudado?...

Infos:
Número de páginas: 284 | Editora: Novo Século | ISBN: 9788576794677



No último ano do colégio, Madison Kasparkova  e suas melhores amigas, Jade e Angie, não esperavam que nada de muito extraordinário acontecesse. Até que a revista preferida delas publica a foto de Mason num concurso que a namorada o inscrevera, e, de repente, ele se torna um dos meninos mais populares do colégio. Logo são convidadas para as festas que antes só sonhavam em frequentar, lideradas por Heather Campbell, considerada a "garota mais bonita do Colégio Colonial".

A alegria dura pouco; numa das festas, procurando sua amiga Angie, Maddy acaba entrando no quarto errado e dá de cara com seu namorado beijando Heather. No dia seguinte, ainda na espera por uma mensagem ou pedido de desculpas que não viria, encontra nos corredores os dois mais uma vez, mas agora se beijando como o mais novo casal oficial do Colégio Colonial.

Para acalmar os nervos da filha, a mãe de Madison a leva - sem aviso - a um curso de meditação. Sem ânimo, a menina aceita, mas só chega a prestar atenção quando ouve a suposta solução para seus problemas: o conceito do Carma, de que as boas ações deviam ser recompensadas, assim como as más, punidas. E se o Carma não estava fazendo seu trabalho balanceando sua vida, então ela, com a ajuda de suas amigas, o faria. 


Se encaixando adequadamente no gênero de livros teen , Karma Club carrega um tom amistoso e amigável, pela voz de Maddy, numa história divertidíssima. É bem como eu disse lá em cima: é um livro para você relaxar os ombros, quebrar a tensão de uma leitura densa e até repensar um pouco sobre comportamentos pessoais do dia-a-dia. Logo nas primeiras páginas, a protagonista apresenta a força do "carma" em sua vida, traçando situações simples do cotidiano e como elas se relacionam como o conceito.

Sendo uma garota extremamente comum, mantém para si aspirações como manter um bom relacionamento com o namorado e as amigas, ingressar numa boa universidade e um grande deslumbramento pela "popularidade". Deslumbramento que, aliás, não demora a se desmanchar ao perder um relacionamento de 2 anos para a garota mais popular do colégio, além de se desiludir por completo sobre o caráter do ex-namorado.
" As boas ações são premiadas, enquanto as más são castigadas. Coisas boas acontecem com as pessoas boas e coisas ruins acontecem com as pessoas ruins. É exatamente assim que o Carma funciona. Bom, pelo menos, era assim que eu achava que funcionasse."
A trama gira em torno das revanches preparadas minuciosamente pelas três amigas, cada uma delas com uma história pessoal de decepção amorosa que, para seus desprazeres, teve em todas as vezes um efeito mais negativo nelas que nos verdadeiros culpados. Cada missão completada - no melhor estilo Sessão da Tarde - recebe um nome divertido e um pingente comemorativo, celebrando as conquistas e, quando tudo parecia que estava voltando nos eixos para elas, situações esquisitas ou amedrontadoras começaram a aparecer. É então que elas precisam revisar todos os seus passos antes que seja tarde demais para consertar a situação.

Chegaria até a comparar o livro com um filme com uma pegada Disney Channel, mas aí me lembrei das referências sexuais  leves recorrentes deste - o que os afasta do padrão Disney, mas acrescenta à eles um tom mais maduro, ou ao menos mais crível, quando sabemos que se trata de adolescentes do último ano do Ensino Médio. Apesar de se centrar inicialmente mais numa desilusão amorosa, dou a dica que haverá sim, uma faísca de romance - um tanto inesperado - no enredo e que ajuda a conferir mais a leveza do enredo. O que senti falta, ao final, foi de algum vislumbre do "outro lado da moeda". Gostaria de que houvesse algum tipo de confrontamento com Mason, alguma forma que fosse necessário que se revelasse alguma justificativa da parte dele, mesmo que mesquinha, para seu comportamento. Foi o personagem que mais soou vazio de toda a história.

Mesmo eu não sendo a maior fã de romances teen - raras são as exceções, tenho que dizer que esse para mim é um livro que pode realmente se destacar como um bom exemplo do gênero. Com uma trama inteligente e uma mensagem construtiva, é um livro que eu sem duvidaria usaria para presentear um leitor em ascensão ou alguém que esteja precisando de um livro para uma temporada mais tranquila.



Deixe um comentário