Olá,
Sabe quando um livro te chama atenção instantaneamente? Porque digo, se não há amor à primeira vista de uma pessoa pela outra, há com certeza de pessoas para livros. Você sabe quando é para ser. Na maioria das vezes. E "Fangirl" foi uma paixão instantânea acertada.























Fã incondicional da série de livros do Simon Snow, Cath faria de tudo só para poder ficar no silêncio do seu quarto com uma caneca de chocolate-quente ao lado, escrevendo histórias sobre o universo mágico da série. É lá que ela se sente completa e segura; escrevendo sua fanfic dos livros da Gemma T. Leslie, no entanto escrevendo-os do modo que ela mesma imagina, sua própria versão do mundo da Escola de Magia de Watford onde Simon vive. 

Mas a realidade chama, e ela é brutalmente arrancada do seu conforto: é hora de ir para faculdade, e decidir o que ela irá ser - algo que ela não faz realmente ideia. E fica ainda pior quando sua irmã gêmea, Wren, a pessoa mais próxima dela, decide que seria colega de quarto de outra pessoa naquele ano. 
Tímida e acanhada, será que Cath vai conseguir passar pelos novos desafios que a vida adulta proporciona, sem perder seu amor pela escrita?

Informações:
Editora: Novo Século | Número de páginas: 424 | ISBN: 9788542803686

Eu já havia visto o nome da Rainbow Rowell por aí (e como esquecer um nome desses?) pela rede graças ao enorme sucesso de Eleanor & Park. Este havia sim entrado para minha wishlist, mas não vingado (a sinopse era interessante, mas não me causou "tanta" ansiedade). Só vendo a capa juntamente com a sinospe desse novo romance da Rainbow que meu ânimo para conhecer suas obras se renovou, graças a uma figura muito importante para a literatura, ainda mais a literatura atual, muitas vezes esquecida.

Harry Potter. Star Wars. As Crônicas de Gelo e Fogo. Todas essas histórias tem um fator externo em comum muito importante, que talvez não fosse mudar suas essências, mas que lhe asseguro; sem ele, nenhuma delas teriam sido tão conhecidas e amadas pelo mundo inteiro. E isso se resume a uma figura, que não pertence à história em si, mas a abraça de todas as formas possíveis. Essa figura está nos bastidores; só observa e ama a incondicionalmente.

Fangirls. Ou fanboys. Seja como for; fãs. Fãs leais e que estão dispostos a proteger com unhas e dentes, como poderem.

Com o fenômeno da internet se expandindo entre os anos 90 e o início de 2000 , alguns começaram a ir mais longe: criaram suas próprias versões imaginativas das suas histórias prediletas. Cath é um deles. E digamos, uma presença bem forte, entre eles. Conhecida mundialmente na internet como Magicath, ela já teve milhões e milhões de visualizações na internet da sua fanfiction dedicada à série de livros (fictícia) da autora Gemma T. Leslie, "Vá em frente, Simon", em que ela cria um romance entre os personagens que, no livro original, são eternos inimigos, Simon e Baz. Não se precisa conhecer muito sobre fanfictions para se saber que é uma clara alusão ao ship¹  de Draco e Harry, assim como a série de livros fictícia têm sua inspiração em Harry Potter. Mas como a autora bem faz citando HP como existente nesse universo, o foco não é a série de livros do Simon Snow ou suas referências - apesar de formarem um ciclo também muito divertido de se acompanhar a cada nova epígrafe do livro, onde conhecemos um pouco mais sobre essa "história dentro da história" -, mas sim acompanhar Cath nesse novo momento em que é obrigada a encarar o mundo longe da sua zona de conforto.


Como se não bastasse para ela ser rejeitada como colega de quarto pela irmã gêmea, que quer sair e aproveitar sua "vida de universitária" de uma forma que sabe que Cath nunca faria, ela ainda tem de dividir agora o quarto com uma completa desconhecida - e muito mal-encarada - chamada Reagan. Acompanhando ela sempre há seu amigo (ou namorado?), Levi, um jovem extremamente alto e sorridente, que não tem vergonha em bisbilhotar de vez em quando para tentar puxar uma conversa com a acanhada Cath. Entre esses momentos constrangedores e outros nem tanto (e não é que ela desenvolve uma simpatia por ele?), Cath tem como sua aula preferida a de Escrita de Ficção da professora Piper, que nota a capacidade promissora da aluna tímida e tenta incentiva-la a começar a escrever suas próprias histórias além do mundo de Simon Snow.

E talvez tenha sido essa a principal mensagem que Rainbow passa, entre cenas divertidas e uma escrita muito gostosa de ler, a de tentar encarar a maturidade e crescer com os obstáculos desta. Cath e Wren já passaram por situações das mais desagradáveis: depois da sua mãe ir embora quando ela ainda era bem pequenas e seu pai passar por fases terríveis de depressão por isto, ainda assim tentando fazer de tudo para cuidar delas da melhor forma possível. A falta da presença da mãe e o humor instável do pai fez com que rapidamente aprendessem a se virar sozinhas; aprenderam com a internet como, por exemplo, fazer panquecas ou lidar com a menstruação, o que as deixou mais unidas ainda.

A autora consegue imprimir na obra seu estilo de forma incrível, com uma escrita levíssima e personagens adoráveis, desde a irritadiça Reagan até o extrovertido Levi. Até mesmo as cenas nas epígrafes de trechos de Simon Snow são ótimas, de forma que algumas vezes cheguei a ficar ansiosa para ver o próximo logo (Rainbow deveria escrever algum livro de fantasia um dia!). O único ponto que posso me lembrar para apontar como - relativamente - negativo é a demora certa vezes para se chegar ao ponto desejado, mas nada a se preocupar. Quero ler seu próximo livro, "Anexos", na versão original já que uma grande problema que percebi com este é que muitas tiradas e expressões que fazem sentido em inglês ficaram um pouco deslocadas na tradução da NS.

Ao final, "Fangirl" não é só um tributo aos fãs ao redor do mundo, mas a cada escritor iniciante e a cada pessoa que já se sentiu insegura sobre seu futuro. Uma leitura tranquila e maravilhosa.

¹ Ship: termo da cultura pop para designar ação de se tentar "apurar" casais possíveis dentro de uma trama ou mesmo improváveis, mas que pareçam ter uma boa química.



Deixe um comentário