Olá pessoal,

Com o fim do ano, decidi organizar uma "premiação" aqui no blog, baseada na ideia que vi no blog O Cantinho Literário e nas premiações do Oscar (22 de fevereiro de 2015). Então escolhi, segundo algumas categorias do Oscar e algumas inventadas, quais foram os livros, séries e filmes (mundo do entretenimento) que mais se destacaram para mim esse ano.

Confira minas nomeações:

Melhor personagem masculino

"L" e Barney
O que dizer desses dois? Personagens simplesmente maravilhosos! Barney, da série "How I Met Your Mother", conheço de longa data, mas como foi a última temporada da série e como Barney para mim foi um dos melhores personagens da nona temporada. Nunca esquecerei dele, seus suits & "legen-wait for it- DARY"s! Enquanto o "L" Lawliet para mim foi uma descoberta muito recente, no anime Death Note, mas logo me apaixonei! Sua personalidade incomum - o jovem detetive amante de doces e introvertido, de coluna torta e olheiras fundas - e sua inteligência impressionante me fizeram amá-lo como personagem.

Melhor personagem feminino

Tessa e Jane
Tessa para mim foi a única personagem dos livros desse ano que acho que mereceu destaque; não por falta de personagens femininas, mas pela falta de personalidade entre elas! Um grande acerto da querida C.Clare depois de anos com a Clary "enjoada" de Instrumentos Mortais, e em Peças Infernais temos Tessa. Decidida, inteligente e melhor ainda; leitora assídua, com ótimas dicas aliás de leitura. 
No mundo das séries foi um pouco mais difícil já que a cartela de personagens femininas é grande, mas o número delas que se "mantém" é quase mínima. Quando digo se mantém é me referindo à aquele costume, de mesmo sendo uma personagem incrível, ter a personalidade "dissolvida" quando está cara-a-cara com o parceiro romântico. Tudo bem, mas até certo ponto, se abusar demais, torna-se cansativo. Então no mundo das séries, não teve outra; escolhi a Jane, de "Drop Dead Diva", que conseguiu manter a cabeça no lugar diante das dificuldades e soube colocar suas prioridades urgentes (na maioria das vezes) na frente do par romântico, Grayson. Ainda conseguindo ser uma advogada espetacular na corte, entre um ataque de nervos e outro.

Mas gente, realmente foi uma tristeza ao começar a selecionar na minha mente as classificadas para essa categoria e não me lembrar de quase nenhuma opção! Espero em 2015 conseguir ver & ler sobre personagens femininas mais memoráveis! Se tiver alguma sugestão, é só deixar aí nos comentários e agradeço :)

Melhor historia original

O Mundo de Sofia e Death Note
Originalidade pode ser considerado um "produto" raro nos dias de hoje, mas aqui e ali achamos bons exemplos de que isso ainda é possível. "O Mundo de Sofia", do autor Jostein Gaarder, conta de uma forma simplificada a história da filosofia pelos olhos de uma menininha, que passa a ver sua vida sendo invadida por cartas e acontecimentos estranhos. O final é surpreendente. "Death Note" também foi uma maravilhosa surpresa. Uma anime complexo, sobrenatural e investigativo (sim, tudo ao mesmo tempo) que impõe ao telespectador muitos questionamentos. Sua moralidade é testada e uma grande batalha entre dois personagens intrigantes é travada, goste de anime ou não, indico com certeza para seu 2015 (Disponível no Netflix).

Veja aqui a resenha de "Death Note".

Melhor Animação e Anime

Universidade dos Monstros e The Legend of Korra
Desculpa, Frozen, mas esse ano outras animações ganharam meu coração. Neste cenário, o que mais me agradou foi "Universidade dos Monstros". Como tinha saudades de Mike e Sulley, de "Monstros S.A", e esse filme, que bem poderia ser considerado uma sátira leve para filmes sobre universidades americanas e fraternidades, foi comicamente adorável. Quanto a "The Legend of Korra", coloquei-a nessa categoria também pela indecisão das pessoas, se é anime ou se é desenho animado, de qualquer forma foi um dos melhores do ano do gênero. A continuação da grande série animada que ganhou fãs anos atrás, "A Lenda de Aang", agora dando-nos a oportunidade de descobrir o que aconteceu com os personagens da antiga série e conhecer a nova, com uma nova Avatar, forte e pavio-curto, em 4 temporadas incríveis.

Veja aqui a resenha da primeira temporada de "The Legend of Korra".

Melhor Livro/Série Dramático(a)

Hibisco Roxo e Mad Men

Pensando nessa categoria, esses dois me vieram logo à mente. Mad Men, a série que retrata a glamourosa e melancólica vida dos publicitários dos anos 50, e seu protagonista cheio de manias e mistérios, interpretado pelo grande John Hamm. Quanto a "Hibisco Roxo", foi o primeiro livro escrito por uma autora africana que li, a talentosa nigeriana Chimamanda Adichie, que constrói nesse drama que se passa dentro da sua terra natal uma complicada história de família, centrada na relação da protagonista Kambili e seu pai , um rico católico fervoroso, Eugene. Pretendo ler em breve outra hora dela, "Americanah", que já está na wishlist.

Veja aqui a resenha de "Mad Men".

Melhor Série de Comédia

Parks and Recreation
Quando comecei a assistir "Parks and Recreation", no começo do ano, não colocava muita "fé" nessa série e não imaginava que ela fosse se tornar tão divertida depois dos entediantes primeiros episódios. Um humor ácido e bem conectado com nossa realidade.A segunda temporada é muito engraçada e logo criei aquele vínculo com os personagens que eu não tinha acho que desde HIMYM. Se tivesse uma categoria melhor "mockumentary" com certeza estaria competindo com gigantes como The Office e Arrested Development!

Veja aqui a resenha de "Parks and Recreation".

Melhor abertura
Sword Art Online e Lie to Me


Aberturas, nem sempre necessárias, mas que dão uma característica especial para o início de um episódio, se tornam muitas vezes icônicas, tanto por suas imagens e trilha sonora - que devem ter conexão direta com a premissa da história. Elas ganham um lugar especial no coração dos fãs. 
E para mim esse ano, as melhores aberturas foram, primeiramente do anime "Sword Art Online", principalmente pela música do primeiro e segundo arco, sempre com aquele começo viciante com o emblema. O segundo foi a da série já (infelizmente) cancelada, "Lie to Me" (mas que já tem duas temporadas no Netflix, acho) que representa bem a proposta da série, mostrando faces com suas "mentiras" sendo identificadas pelo método usado na série e com a música, que aliás ficou conhecida exatamente pela abertura, como muito acontece, "Brand New Day", de Ryan Star.

Veja aqui a resenha de "Sword Art Online".

Melhor booktrailer

"O Livro do Silêncio" e "Princesa Mecânica"


É inegável que booktrailers ajudam muito na divulgação de livros. E esse ano, achei essa categoria extremamente coerente, uma vez que essa ferramenta de marketing se tornou tão presente para os leitores. Escolho então os que mais me impactaram: no começo do ano, o booktrailer de "Princesa Mecânica", 3º livro da série  "Peças Infernais",  autora Cassandra Clare. Já pretendia ler o livro, logo que gostei tanto dos anteriores, mas o booktrailer foi o incentivo final para que eu corresse para as livrarias e agarrasse meu exemplar. O outro, mais para o meio do ano, poderia ser digno à trailer de filme, de tão bem-feito

Veja aqui a resenha de "Princesa Mecânica".
Veja aqui a resenha de "O Livro do Silêncio".

Melhor Efeitos Visuais

Malévola  
Não sou muito de me importar com os efeitos visuais de um filme, mas admito que eles, ao final, fazem muita diferença. Um filme com bom design e efeitos se torna muito mais confortável aos olhos do telespectador, principalmente se for do gênero fantasia que os efeitos especiais são quase indispensáveis. Não tive tempo de assistir muitos filmes nesse ano, cheio de compromissos, mas os efeitos deste filme em especial - das asas da protagonista interpretada por Angelina Jolie às criaturas criadas digitalmente do Moors - me encantou nesse aspecto.

Melhor Personagem Coadjuvante

Bolin e Ron Swanson
Grandões e muito engraçados, outros dois personagens que este ano ganharam meu coração, além de "L" e Barney, foram esses dois coadjuvantes. Um dobrador de terra, de "The Legend of Korra", muito bem-humorado com seu cabelinho "Grease" e o outro, chefe de departamento, rabugento e fã de carne, Ron Swanson. Sem eles a séries em que participavam não seriam definitivamente as mesmas, que tornam toda a atmosfera de onde quer que vão, mais divertida. 

Veja aqui a resenha de "The Legend of Korra".
Veja aqui a resenha de "Parks and Recreation".

Melhor autor(a) Nacional 

Machado de Assis
Ano passado prometi a mim mesma que leria algum livro de Machado de Assis, cumpri e gostei muito da experiência: li dois, "Iaiá Garcia", da sua fase romancista e uma das suas obras principais da fase realista, senão a mais intrigante, "Dom Casmurro". Pretendo sem dúvida ler mais em 2015, começando pelo tão comentando " Memórias Póstumas de Brás Cubas".
Então, traiu ou não traiu?


Autor(a) Nacional Revelação

Emerson Dantas e Pimenta, com o livro "Herói".
2014 foi um grande ano para descoberta de novos talentos, ainda mais agora como blogueira literária tive oportunidade de conhecer muitos mesmo e suas obras com as parcerias. Que continue assim! E para esse ano, eu diria que o escritor "revelação" por ser seu romance de estreia, foi o Emerson Dantas e Pimenta. Romântica e cheio de ação, o romance nos leva a um mundo fictício que exige do seu protagonista importantes escolhas e o dá grandes amigos. Espero que na continuação ele consiga melhorar cada vez mais!

Veja aqui a resenha de "Herói".

Melhor autor(a) Estrangeiro(a) 

George Orwell
"The Big Brother is watching." Sem dúvida "'1984", uma das grandes obras de George Orwell, foi sem dúvida alguma o melhor livro do ano para mim. Uma leitura cruel e avassaladora, e assustadoramente reconhecível; Orwell construiu uma distopia, tantas décadas, cheia de características que hoje são a realidade. Pretendo em 2015 ler outra das principais obras dele, "A Revolução dos Bichos".

Veja aqui a resenha de "1984".
Melhor Documentário

"Good Hair", por Chris Rock
O  documentário do comediante Chris Rock, que aborda de forma divertida, um assunto sério: a obsessão pelo cabelo "bom", ultrapassando limites até mesmo da própria saúde (e do bolso) para alcança-lo. E um dos agentes principais para minha decisão definitiva de largar as químicas capilares de vez e voltar ao natural, para a liberdade.(Em breve sai postagem sobre meu Big Chop).


Veja aqui a crítica do documentário.

Melhor adaptação
2014 foi um ano de muitas adaptações de livros para o cinema. Muitos li e não consegui ver a adaptação ("Divergente", "A Culpa é das Estrelas") e outros quis ler, mas ainda não consegui, e quero ver só o livro só depois ("Seu eu Ficar", "The Maze Runner",...). Fidelidade à obra é uma tarefa difícil para o cinema, ainda que "falando a língua de outra arte", torna-se pior ainda, mas acaba sendo o que mais pesa para quem leu o livro. E usando esse critério, escolhi a adaptação de "A Menina que Roubava Livros". De longe o mais fiel, além de ter sido uma adaptação emocionante. 

Categorias que não consegui preencher:

Apesar da boa e grande quantidade de conteúdo que absorvi esse ano, houveram algumas categorias, que mesmo que escavasse fundo em minha memória sobre o ano todo, não achei representantes e senti falta. Se você quiser, pode dar sua sugestões para me ajudar nessas categorias vazias para o próximo Prêmio MS! Também pode sugerir novas categorias :) 
  • Melhor filme nacional - não vi nenhum que me impressionou esse ano.
  • Melhor autor estrangeiro revelação - não li nenhum "estreante" da literatura estrangeira esse ano.
  • Melhor documentário nacional - preciso de sugestões interessantes.
Então, o que achou? Teria escolhido diferente? Por que? Quais foram seus "MELHORES" em 2014! Comente e diga sua opinião! E FELIZ ANO NOVO à todos!


10 Comentários

  1. Oi, tudo bom?
    Amei a ideia de post e amei mais ainda suas escolhas! Não consigo escolher assim de sopetão (e acho que você também deve ter parado um pouco para pensar), por isso não vou deixar aqui quais seriam minhas escolhas.
    Beijos e feliz 2015!
    http://resenhandoaarte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Heeeeey Manu
    Acho que eu teria mudado a Melhor Série Dramática, indicando Pretty Little Liars, apesar de não ser um programa estreante. Sempre foi uma série com a qual eu tive muito preconceito. Sem assistir, eu dizia que era coisa de menininha mimada e mal comida hah (perdão pelo palavriado). E então por um acaso do destino assisti alguns episódios esse ano e fiquei louco. Comecei a assistir do começo e acompanhar e estou certamente fascinado por cada grama de mistério, suspense e drama envolvido nesse seriado.

    Abraços,

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post concordo +/- com suas nomeações u.u
    litaralmentelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Adorei o post, Manu, bem condizente com a época do ano hahaha eu ainda não assisti a A Menina que Roubava Livros, mas ouvi muitas críticas positivas sobre o filme e com a história incrível daquele jeito não pode ser ruim. Death Note é meu anime preferido, e eu amo o "L" kkkkkkkkk Uma das personagens femininas que mais me encantou esse ano veio de um livro que eu acabei de ler agora: é a Perry, de Dark House, escrito pela Karina Halle. Ela é esperta, divertida e irônica, bem fora dos padrões a que todos estamos acostumados, isso foi a coisa que mais me chamou atenção nela. Beijos!
    Patrini, blog Livros Viajantes.

    ResponderExcluir
  5. Oii tudo bom?
    Adorei sua premialçao, apesar de não conhecer a maioria dos indicados kkkk
    Já tentei assistir Death Note, mas eu nao estava em um bom momento, mas irei dar outra chance para ele em algum momento.
    Me interessei muito pela série Parks and Recreation, estou entrando neste mundo de viciado em séries agora e tava precisando de sugestões kkkk vou tentar assistir alguns episodios depois.
    Um abraço
    Oficina do Leitor / Facebook

    ResponderExcluir
  6. Oii, gostei de algumas escolhas! Não gostei muito dos efeitos de Malévola e esperava mais também no filme no geral. Ainda não pude assistir A menina que roubava livros, mas quero muito! Não assisto animes, mas pretendo começar por DN. Beijos,
    http://entreeleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Escritor revelação *________*, caraka! Obrigado, Manu. Muito feliz mesmo, ainda mais por figurar uma lista ao lado do Bolin, L, Barney, Machado :)

    ResponderExcluir
  8. Caraca, quantas coisas boas na premiação. Das que não vi, mas quero estão: Death Note e Parks and Recreation. Parecem ser realmente bons. :)

    http://legadodaspalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá nossa algumas coisas que você mencionou, eu também gostei como Barney ele é demais adoro ele kkk, o documentário Good Hair é uma documentário que eu gostei muito ainda mais é sobre cabelos afros... E o mundo de Sofia é um livro maravilhosoooo.
    https://maniacaporlivros.wordpress.com/

    ResponderExcluir