Mais uma resenha no blog de um autor parceiro: "Pop Star - Uma História de Amor e Fama" por Davi Medeiros!

Jovem, linda, famosa, rica, adorada e admirada... Essa é a imagem de Bia Brancchini, uma das personalidades mais influentes da juventude brasileira. Uma cantora pop de quinze anos com uma carreira de sucesso realizada por viver de sua vocação, mas percebendo que a fama tem um preço, se lamenta por não ter tido quase nenhuma experiência de uma "adolescente comum" na vida.
Com a ajuda de seu empresário e melhor amigo, Daniel, juntos bolam um plano para tentar suprir, só por um mês isso: disfarçar Bia de menino e manda-la para um colégio. Mas a farsa exige da menina: perder shows, eventos, entrevistas, mentir para os pais e guardar esse grande segredo de todo país e pior, do menino por quem ela começa a nutrir sua primeira paixão...

























"Pop Star - Uma História de Amor e Fama" é primeiramente, um livro curtinho de leitura bem fluída
e divertida. Essa é a beleza que vejo nos livros teen/infanto-juvenil; é um passatempo que pode ser muito agradável, se a obra for bem-feita. E este é um dos casos.
Ao ler a obra, não pude ignorar uma certa nostalgia repentina que ela me trouxe: uma menina que quer viver a fama e a "normalidade" ao mesmo tempo (1), se vestindo de menino para fazê-lo (2)? Chamando geração 2000; 1.  série Hannah Montana (2006-2011) e 2.o filme Ela é o Cara (2006). Descobri que o autor têm uma idade bem aproximada a minha, então pressuponho que estes tenham servido como alguma espécie de inspiração (talvez?). Influências da infância sempre são bem-vindas, e remodeladas podem dar um ar totalmente novo.

Davi Medeiros criou sua própria história, a história de Bia Brancchini. Uma adolescente, que apesar de ter sempre vivido sobre os holofotes, mostra que também vez ou outra também desce do "Olimpo" e vira "mortal": adora comer besteira, como paçoquinhas, navegar pela internet e passar o dia no quarto de pijama.
Sabendo do sonho da menina, seu melhor amigo e empresário, Daniel,  dá um jeito de "burlar" o sistema e conseguir se matricular Bia com o nome de "Bruno" num colégio de São Paulo. Com isto ela passa a frequentar o colégio vestida de menino, tendo muito cuidado para que não fosse descoberta. Mas logo o problemas surgem; primeiro descobre que o menino que a visitou nos bastidores de um show e por quem ela ficou platonicamente apaixonada estuda nesse mesmo colégio. Depois, percebe que os planos para matricula-la neste não foram tão simples assim: seu empresário teve que passar por cima de muitas leis para efetua-lo, fazendo que outras pessoas também soubessem seu segredo, o que colocaria toda farsa, sua carreira e ELA MESMA em risco.

Minha opinião sobre a obra em geral é bem simples: se tratando de uma trama teen, encaixou-se, fez seu papel, mas também teve suas pequenas falhas. A narração é em 3ª pessoa, o que me deixou muito mais confortável para lidar com a personagem, que ora sim, ora não me agradava. O amigo Daniel tem como seu ponto forte o entusiasmo, entretanto muitas vezes tinha um discurso repetitivo e "enjoado". Então, acaba que meu personagem preferido foi mesmo o par romântico da Bia, Nelson William! Um garoto amigável e respeitoso, com um ótimo gosto musical (fã de Maroon 5), na minha sincera opinião.

Gostei de ter, por um breve momento, um resquício do passado de Bia num flashback, que ajudou bastante a entender sua "fome" por um pouco de "vida comum", incluindo sua subida para a fama de um modo bem tradicional: um group-band. Minha impressão foi que o meio para o final também teve uma resolução simples demais do problema em vista, não dando ao personagem a puniçãoo de seus atos, por mais bem-intencionados que foram.

É uma leitura leve, apaixonada e divertida e acredito que muito facilmente estaria na minha lista aqui no blog de 4 sugestões de livros teen .

Informações: Editora: Chiado | Número de páginas: 140 | ISBN: 9789895111725


7 Comentários

  1. Não conhecia esse livro, mas gostei bastante da história dele, me deixou bem curiosa. Essa coisa de amor e fama foi o que mais me empolgou hahaha Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Nossa, eu não conhecia esse livro! Cada dia mais percebo mais livros (que prometem agradar) e nacionais! Adorei sua resenha! O livro me lembrou a Hanna Montana (é assim que escreve?) quando ela se fingia de sei lá quem heuheu não lembro direito... Mas gostei muito do livro, com certeza já entrou para minha lista de leitura :) beijos!

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro, achei muito interessante. Gostei da sua resenha e do seu blog, vou dar uma passadinha aqui sempre.
    Beijos
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  4. Eu já tinha visto algo sobre esse livro, acho que a capa (linda) e a sinopse em algum lugar, e tinha achado bem interessante. Gosto de histórias teens, ainda mais quando tem relação com a música, também me dá uma nostalgia.
    Gostei da sua resenha.
    Tem sorteio da trilogia A Seleção lá no blog, participe: petalasdeliberdade.blogspot.com .

    ResponderExcluir
  5. Heeey Manu!

    Sabe, eu nunca gostei desses livros curtos. Geralmente são aqueles que eu mais demoro a ler. Entretanto, fiquei com um "quê" de curiosidade para saber como essa estória é desenvolvida. Aparentemente não há muito o que explorar, de forma que o autor deve ter cosneguido proporcionar uma leitura bem fluída mesmo. Digno de um espiódio de 30 minutos da Hannah Montana USIAHDIASUDHAS Sim, Hannah Montana, me lembrou muito isso, mas talvez sendo o inverso.
    Bem, é estranho, de certa forma porque aqui no Brasil não temos uma cultura POP bem fortificada. Um ídolo base, alguém que seja, de fato, ícone. Acabamos sempre preferindo as conveniências estrangeiras, e pode ser interessante ver esse aspecto mudar no livro.

    Valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o título nem o autor, mas adorei a sinopse e a capa do livro, apesar desse gênero não ser meu favorito. Acho que as tuas resenhas conseguiram captar os aspectos positivos da obra, Manu, e, assim como tu, também pensei nessas influências citadas assim que li a sinopse e vi do que se tratava a história. Acho que a leitura também deve ser um entretenimento, com certeza esse é um livro que eu indicaria para quem está iniciando nesse mundo literário! Beijos!

    ResponderExcluir