Olá leitores,
Finalizei ontem a leitura de "Kiki Strike e a Cidade das Sombras", outro livro que ganhei de presente e hoje vou fazer a resenha sobre ele aqui no blog.


Ananka Fischber nunca teve muita ação na sua vida.Era apenas uma menina solitária de 12 anos, com pais extremamente estudiosos e por consequência, ausentes, tentando se encaixar numa escola só para ricos da alta sociedade e crianças prodígios, já que se ela não se adequá á nenhum dos grupos.

Sua vida era bem entendiante, até que uma noite ela viu algo por acidente que mudou sua vida por completo: uma menina estranha e baixinha saindo de um buraco misterioso no meio de um cemitério.Tinha duas escolhas; ignorar e esquecer-se do ocorrido, ou se aventurar-se explorarando os segredos que a menina deixara para trás.

Ela escolheu a aventura.

Segredos, grandes perseguições, túneis subterrâneos, ratos com paladar apurado por carne humana, explosões e gangues chinesas não são coisas cotidianas na vida de uma pessoa comum, mas não se pode esperar nada menos quando você se torna amigo de Kiki Strike.
                                             

Em geral, "Kiki Strike e as Cidade das Sombras" conseguiu superar minhas expectativas, que de fato não eram lá muito altas porque nesse livro eu só esperava uma leitura mais leve e divertida .Leve e divertida, foi, com certeza, mas também foi bem mais que isso; envolveu mistério, ação e aventura, da forma que a cada página se torna mais animante.

Ananka, não sendo de fato o "destaque" do livro, conta a história de suas aventuras como adolescente em 1ª pessoa. Tudo começa quando encontra o buraco no cemitério, que a leva para uma espécie de linhas de túneis e quartos subterrâneos , construídas no século XIX em Nova York para abrigar esquemas criminosos de todos os tipos. 

E por ter encontrado a Cidade das Sombras,é recrutada para o grupo denominado "As Irregulares", por Kiki Strike, a menina baixinha e misteriosa que ela viu saindo do cemitério naquele mesmo dia.Todas as integrantes juvenis do grupo tem algo de incomum; Luz, uma jovem engenheira especializada em espionagem, Oona, hacker e falsificadora, DeeDee, uma filha de cientistas premiados com mais talento que os pais na ciência, Betty, mestre em disfarces e completando o time, Ananka, com sua enorme biblioteca e habilidade de percepção, sem falar na própria Kiki Strike, a menina baixinha de cabelo branco, de passado desconhecido e expert em artes marciais.
“- Você, no fundo – disse a diretora. – Não pense que pode se esconder. Diga-me. O que quer ser quando crescer?

- Perigosa – disse a menina escondida, sem um segundo de hesitação. Todo mundo na turma se virou para a carteira dela."
No começo tive um certo preconceito, acho que pela capa e a sinopse, de que fosse um livro muito "água-com-açúcar".Dá essa impressão, porém não é verdadeira.Desde da linguagem ao comportamento das personagens, apesar de bem surreal a ideia de um grupo de meninas com talentosos precoces desvendando uma cidade subterrânea esquecida, as "Irregulares" mostram com vigor que não "estão para brincadeira".Me surpreendi também que essas personagens, mesmo sendo todas meninas, não tiveram nenhum envolvimento romântico como destaque em todo livro, o que chega a ser incomum quando se vê todos os dias, mulheres que, mesmo sendo independentes e poderosas, em livros e filmes/séries, se tornam verdadeiras estúpidas, esquecendo-se dos seus objetivos.Nesse caso não.

Previ muitas coisas como sempre faço nos livros, mas admito, algumas coisas eu não simplesmente não vi chegando! Quem for ler, pode esperar uma imensa reviravolta no meio.
Algo incomum e curioso é que no final de capítulo a autora dá dicas ao leitor que ao longo do livro são bem úteis ás Irregulares. Boa parte há uma grande chance que você nunca tenha que executar na vida (se der sorte), mas no caso de emergência, é sempre bom saber o que fazer quando por exemplo, for atacado por animais selvagens, ter dentes quebrados em uma briga, ser congelado vivo ou picado por uma cascavel e nos casos mais "realistas" (vai que você mora num deserto perigoso?), planejar uma rota de fuga,  se livrar de um perseguidor e se defender de um sequestrante.

Então é isso, se você quer um pouco de uma aventura surpreendente para se sobressair da suas leituras tão chatas como a vida de Ananka antes de entrar para as Irregulares, essa é uma boa pedida!

P.s; Soube que tem continuação, estou louca para comprar porque pela capa vai ser focado na personagem Oona, uma das minhas preferidas de "Kiki Strike e a Cidade das Sombras".

O que acharam da resenha? Ficou com vontade de ler o livro? Não? Comente e diga sua opinião!


4 Comentários

  1. Pela sua resenha o livro parece ser bem legal, deu vontade de ler. Amo reviravoltas, rs. A capa não me agradou tanto, mas o que importa é o conteúdo, né?

    Beijos,

    Marlon
    http://viva1livro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Manu, devo confessar que o nome e a capa do livro me lembrou a série da Cassandra Clare. Gostei da resenha, me deu ate vontade de ler o livro.
    Beijos.
    http://www.marcasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Manu, adorei a resenha de hoje.
    Assim como você, julguei - apenas pela capa - que se trataria de um livro bem água com açucar, mas ao ler a sua resenha percebi que me enganei.
    Parece muito legal a história, bateu uma curiosidade até..
    Nunca tinha ouvido falar da escritora :O

    Beijo grande.

    Thati;
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
  4. Oi Manu :)
    Não conhecia a série e achei bem interessante. Gostei bastante da resenha tb :D
    Beijos
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir