Terminando a leitura da vez, "A Herdeira" de Sydney Sheldon,me pego mais uma vez surpresa com o autor.
Minha ultima leitura deste mesmo autor me deixou com sinceras duvidas.Não duvidas do tipo de confusão, o que algo que não pudesse ser entendido durante a leitura, mas uma sincera indagação sobre o destino dos personagens.

Sinopse oficial: O autor relata uma história de suspense e aventura que envolve o mundo de crime e conspiração. Elizabeth recebe com a morte do pai Samuel Roffe, uma herança de muito valor tornando-se uma mulher rica e poderosa. Em busca da herança, perseguições, sabotagens e assassinatos começam a acontecer. Um livro apaixonante e intrigante para quem gosta de mistério e emoção.

Autor famoso pelos seus romances e book-novels,considerado hoje um clássico do romance-suspense.Morreu em 2009,mas deixou um legado de 18 livros,todos totalizando 300 milhões de vendas pelo mundo,e é o autor mais traduzido do planeta.
A Herdeira é um livro divido em duas partes: na primeira,eu entendi como se fosse uma explicação,um flashblack,era necessário para que o leitor entendesse o dinamismo da segunda parte,onde ele se torna uma leitura investigativa convidando o leitor de certa forma a tentar descobrir "o fio solto" na trama.

Não sei sinceramente qual parte eu gostei mais.A primeira parte foi uma boa introdução,e conhecer os personagens foi essencial para entender o resto.Primeiro conhecemos a história a protagonista: Elizabeth Roffe,que acaba de receber a noticia da morte de seu pai.

Consegui me identificar com a personagem e ao mesmo tempo ficar com uma pena profunda da jovem Elizabeth; menina sozinha,praticamente criada pelas babás após a mãe morrer no seu parto,e seu pai do qual a vida era apenas cuidar da sua empresa Roffe &Filhos e esperava um menino invés dela.
Sofri diversas vezes com as tentativas de Elizabeth pequena tentando conquistar o amor do pai e sonhando com o dia que ele ia dizer que tinha orgulho dela mesmo não sendo o que ele esperava (sniff).
Tornou-se reservada e criou um mundo próprio, cheio de sonhos e fantasias, onde só ela e mais ninguém entrava. Pintava à sua maneira os seus quadros da vida, pois as cores da realidade eram muito ásperas e ela não podia as aceitar.
— A herdeira

E então ela acha no escritório do pai um diario-biografia de Samuel Roffe,o antepassado dela que havia fundado a Roffe&Filhos (flashblack muito interessante também,me lembrou a história inicial de outro livro desse autor,O Reverso Da Medalha).E com o sucesso da empresa Samuel faz uma definição definitiva sobre a empresa: as ações nunca poderiam ser vendidas ao publico,só poderiam ser usadas entre a propia família e seus conjugues.

Após isso conhecemos também um pouco da história dos outros integrantes da família Roffe espalhados pelo mundo e suas histórias,umas desesperadoras(Charles e Helene,o homem subjugado pela esposa e Alec Nichols com sua esposa Vivian),algumas cômicas(Ivo Palazzi e suas duas famílias),e outras chegando ao nível doentio e aterrorizantes (como Walther e Ana) e todos com cada um seu motivo para querer Sam Roffe(pai de Elizabeth) morto. E agora Elizabeth tinha o controle da compainha e se tornara o alvo.

Além de claro,Rhys Williams e o detetive Max,de personalidade interessante,que vai aos poucos descobrindo e nos confundindo sobre o que afinal houve.Admito que alguns momentos fiquei confusa e li a mesma frase várias vezes só para ter certeza do que estava acontecendo,e tambem vale lembrar de apesar de ser um livro com linguagem atual,é dos anos 70 então a ambientação e valores são um pouco diferentes,mas mínimos e nao atrapalham a leitura.

Recomendo esse livro para quem gosta de romance e suspense,e já está na minha lista outro livro dele, A ira dos Anjos.



2 Comentários

  1. Oi, tudo bem?
    Já vi esse livro algumas vezes,mas nunca tive aquele interesse em ler ele. Um dia pretendo ler, com certeza, mas acho que ainda não é momento rsrs
    Suas resenhas são ótimas, parabéns. Procure cortar mais o texto, fazer mais parágrafos menores pois isso torna a leitura mais agradável, principalmente quando se esta no cel, só uma dica rsrs
    Beijos!
    http://resenhandoaarte.blogspot.com/2014/10/resenha-mente-holistica.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada <3 Acredite, eu corto o texto o máximo que consigo, mas acaba ficando assim do mesmo jeito porque sinto a necessidade de falar tudo que é necessário para uma crítica completa. Se eu não for verdadeira, expondo os pontos positivos e negativos e todos os fatores que me levaram a pensar de tal modo sobre tal obra, do que adianta resenhar?

      Excluir