Terminei hoje de ler Príncipe Mecânico,o segundo livro de Peças Infernais(o mundo antes de Instrumentos Mortais),e sinceramente,não sei como começar.Depressão pós-livro very hard nesses casos...
Sinopse oficial:Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres — ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada — foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma se reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico.

Cassandra Clare para mim em teor de fantasia é o que eu chamaria de uma mestre em mexer com os sentimentos do leitor tão profundamente que ele mesmo se confunde,se apaixona,e muitas vezes sofre com o próprio personagem,apesar de ser em narrador onisciente.Mas uma característica é clara: suas sequências são sempre melhores que o 1º livro.
Tive sincero medo em Anjo Mecânico que a história de Instrumentos Mortais de alguma forma de repetisse em Peças Infernais,porque a principio vemos a mesma cena: o garoto rude mostra interesse pela menina que se achava mundana,mas não é e tal tal.(Não estou desmerecendo TMI,ele continua sendo uns dos meus preferidos).

Mas nessa história há uma coisa a mais,para alguns boa e alguns ruim,mas enfim: sentimento.Essa é a palavra que para mim resume o que quero dizer.Cada personagem tem uma carga diferente de sofrimento,e todos lidam com ela de uma forma diferenciada, única.

O livro começa um pouco depois dos acontecimentos de Anjo Mecânico,Tessa ainda está no Instituto,e todos vão ao Conselho da famosa Clave (essa é a de Londres pessoal) resolver os conflitos e tentar achar uma solução para um problema da época: Axel Mortmain,O Magistrado.Cassandra sempre criando os vilões mais  filhos da mãe   terríveis.

Tessa ainda não sabe o que ela é,e têm sonhos constantes com a época em que foi torturada pela irmãs Black que a assombram. Benedict Lightwood,dono de um segredo totalmente inimaginável, tenta tirar Charlotte da liderança do instituto de Londres e Nathaniel Gray,o irmão de Tessa que traiu o Instituto para seguir Mortmain continua desaparecido.O clima é de pura desconfiança e todos parecem que de repente têm um um segredo a esconder.


Aproveitando para ressaltar algo que adoro na escrita de C.Clare; ela apesar de escrever em narrador onisciente,não narrador-personagem,ela consegue nos convencer tão certamente da visão de tal personagem,ou pelo menos no que ele acredita ser verdade,que o próprio leitor as vezes confunde a verdade com a verdade na visão do personagem.E as surpresas depois disso são maiores ainda.

No primeiro livro nem imaginei a possibilidade de haver um triângulo amoroso entre Jem - Tessa - Will.E isso sim é um triangulo porque lembremos gente - no triangulo todos as pontas se conectam. Jem e Will também se amam apesar de tudo,não no sentido romântico,mas eles são parte da alma um do outro,são melhores amigos e parabatai. São a família um do outro.Um belo desafio para autora solucionar na sequência.
O que é tão irônico é que os dois se apaixonam por Tessa,e nenhum deles percebe o interesse do outro por ela só ate o final do livro depois de uma serie de acontecimentos bombásticos.

Outros persogens também passam a ganhar mais foco em seus próprios núcleos: Sophie, Gideon,Charlotte (cada vez mais persistente a cada livro),Henry,e consegui gostar até os novos serviçais da casa.
Sobre a adaptação á época, mais uma vez Cassandra se mostra impecável, citando diferentes pontos de Londres e sem perder a essência vitoriana.

Recomendo MUITO! Um ótimo livro de ficção mesmo, de uma escala de 1 a 5, minha nota seria 4,7.

InfoPáginas : 406 Editora: Galera Record I.S.B.N.: 9788501092694 







Um Comentário

  1. Muito boa a sua resenha! Concordo sobre a escrita da Cassandra, ela nos faz sentir tanto e como o personagem... essa trilogia realmente tem sentimento e isso define tudo. Parabéns :)

    ResponderExcluir